Muitas coisas me passaram pela cabeça durante a viagem em direcção à Finlândia, mas a coisa que mais temia era o primeiro dia de aulas, não sabia como iria ser, como as pessoas iriam reagir, sabia perfeitamente que toda a gente ia passar a próxima semana a olhar para mim, mas não era disso que tinha medo, e sim de não ser aceite. Mas não há nada a temer, pois os jovens Finlandeses têm uma mente muito aberta, são simpáticos e apesar de muito tímidos, eles têm bastante interesse em conhecer a minha cultura. Por isso, com isto dito, o meu primeiro – e acredito que dos únicos –  medos em relação ao intercâmbio tinha sido eliminado, fiz amigos muito facilmente.

Eu acredito que o segredo é mesmo não ser tímido, e dar o primeiro passo, pois temos de ser nós os estudantes de intercâmbio a normalmente ter de falar primeiro com as pessoas para conseguir fazer amigos, por isso foi isso que eu fiz. No início era um bocado dificil, mas após umas semanas ou até dias já falava com imensa gente, já tinha bastantes amigos, e pessoas interessadas em conhecer a minha cultura…

Em relação à família, no meu caso, quando cheguei ao aeroporto e os vi demos um abraço e fomos em direcção ao carro. Tivémos uma viagem de 3 horas até à minha nova casa, e durante essa viagem, não houve um momento de silêncio, o que me fez sentir como se já nos conhecêssemos há imenso tempo… Vivo com os meus pais de acolhimento e a minha irmã, mas tenho mais 3 irmãos que já vivem fora de casa. Adoro a minha família, fazemos imensas coisas juntos, e normalmente vejo dois dos meus irmãos todos os fim-de-semana, onde vamos para a Sauna, e em seguida, vamos para o lago gelado, e metemo-nos lá dentro, e tenho que dizer que é uma das melhores coisas que já fiz na minha vida…

Lembro-me que as primeiras semanas foram muito mas muito cansativas, mas nem isso me impediu de fazer tudo o que me sugeriam para fazer, usei sempre aquelas últimas energias, e não me arrependo nada, porque para além de ter feito imensas coisas divertidas e que nunca tinha feito, também tinha excelentes noites de sono devido aquelas últimas energias que decidi usar para fazer algo com a minha família ou amigos!

Em menos de um mês sentia-me em casa, tinha e tenho uma excelente relação com a minha família, fiz imensas amizades, visitei e vi coisas lindas, como as famosas auroras boreais, tive experiências espectaculares, sentia-me feliz, poderia dizer que não me faltava nada, estava a viver o meu sonho.

Em relação à comida, eu meti na minha cabeça que iria comer tudo e não iria recusar ou dizer que não gostava de algo, e digo com todas as certezas que é a melhor coisa que pude fazer, pois acabei por me aperceber que afinal gostava de certos alimentos que em Portugal sempre disse que não gostava, e em segundo faço de certa forma a minha família de acolhimento feliz.

Na escola tenho tido bons resultados, e é de facto um prazer poder estudar num dos melhores se não o melhor sistema de ensino do mundo. O computador faz parte de muitas aulas, e cada aula é de 75 minutos. O almoço nas escolas é servido às 11 da manhã e é de graça para todos os estudantes. De facto uma organização excepcional em geral na escola.

Agora estou aqui há pouco menos de 5 meses e tenho a dizer que nada mudou. Continuo a ter uma experiência incrível, continuo a fazer e a experimentar coisas que nunca pensei em fazer, jogo hóquei no gelo de vez em quando com amigos e, apesar de não ser muito bom, há cerca de um mês comecei a fazer snowboard. Neste momento digo seguramente que é o meu desporto favorito, simplesmente adoro. Os mergulhos no lago gelado já faz parte dos meus fins-de-semanas. A neve faz com que as noites sejam um pouco mais claras, com céus de noite onde consigo observar todas as constelações e as mais belas luzes do norte, e as manhãs com os mais incríveis nasceres-do-sol… As amizades que criei e os sítios que tive a oportunidade de ver… O frio cujo eu já me habituei, e já pude experienciar -30 graus, é algo como eu costumo dizer para mim, “é como um frigorífico para humanos”, é uma coisa totalmente diferente, e pelo facto de estar habituado, quando está -5 graus eu ando com o casaco aberto, e apenas uma camisola debaixo do casaco.

Isto é a minha experiência e acredito que maior parte dos estudantes podem ter uma experiência como a minha ou melhor. Só acho que o mais importante é entrar no intercâmbio com uma mente aberta e sempre pronto para sair da tua zona de conforto, fazer coisas que não gostamos, e afinal descobrimos que até gostamos, não ser tímido, aproveitar o teu ano de intercâmbio da melhor maneira e respeitar a cultura do país… Esta é a chave para uma boa experiência na minha opinião.

David Santos | Estudante AFS Portugal 2016/2017 | Portugal – Finlândia